Top Blog

Top Blog

Top Blog
Awards!

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Rimas para Jesus

As canções gospel não são só produtos fonográficos. São hinos de louvor, também. Sua eficácia como tal só Deus mesmo, para bem avaliar.

Agora, na qualidade de simples produtos fonográficos, asseguro: da grande maioria das que tenho ouvido (as mais das vezes involuntariamente), francamente não gostei, mesmo. Poucos são os compositores que põem em seus trabalhos o mesmo cuidado que põe um Sérgio Lopes. Este declarou ter ficado um ano inteiro com uma canção inacabada por conta de uma única palavra. Tal zelo se reflete em seus trabalhos, sempre bons, mas trata-se infelizmente de um caso bastante atípico, no gênero.

A questão da rima para Jesus não passa de uma questiúncula somenos. Pode ser que eu esteja ficando ranzinza. Mas esse negócio de Jesus rimar bobamente com 'cruz' ou 'luz', confesso que tenho achado um tanto quanto irritante.

Bastaria consultar um dicionário para o compositor ou poeta enriquecer consideravelmente o leque de possibilidades de rimas neste caso específico (ou em qualquer outro, de passagem se diga).

O repertório do Aulete Digital apresenta, para verbos terminados em “*uzir”, nada menos que os 36 seguintes:

abduzir aduzir aluzir entreduzir auriluzir coproduzir conduzir contraproduzir deduzir desluzir duzir eduzir entreluzir estreluzir induzir introduzir luciluzir luziluzir luzir noctiluzir nuzir preluzir produzir reconduzir reduzir reintroduzir reluzir reproduzir retraduzir seduzir sobreluzir teleconduzir traduzir transluzir trasluzir e tremeluzir.

Basta colocar qualquer um deles na terceira pessoa do singular do presente do indicativo, e podemos dizer sem susto que algo ou alguém respectivamente:

abduz aduz aluz entreduz auriluz coproduz conduz contraproduz deduz desluz duz eduz entreluz estreluz induz introduz luciluz luziluz luz noctiluz nuz preluz produz reconduz reduz reintroduz reluz reproduz retraduz seduz sobreluz teleconduz traduz transluz trasluz e tremeluz.

Com a busca “*por”, encontramos instantaneamente mais 44 verbos da mesma família, a saber:

antepor antrepor apor circumpor compor contrapor contrapropor decompor depor descompor desapor descompor desimpor despor dispor entrepor estrapor expor extrapor impor indispor interpor justapor opor pospor predispor propor pressupor propor recompor reimpor repor repropor redispor sobpor sobrepor sopor sotopor subpor superpor supor transpor traspor e trespor

A primeira pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo, é, respectivamente, eu:

antepus antrepus apus circumpus compus contrapus contrapropus decompus depus descompus desapus descompus desimpus despus dispus entrepus estrapus expus extrapus impus indispus interpus justapus opus pospus predispus propus pressupus propus recompus reimpus repus repropus redispus sobpus sobrepus sopus sotopus subpus superpus supus transpus traspus e trespus.

Nada menos que oitenta opções de rima para Jesus, só até aqui.

Algumas palavras terminam em “*uz”. É o caso de capuz, mastruz, truz, e vários etcéteras. Elas são invariavelmente oxítonas, e rimam com Jesus, também.

Outras, muitas outras, terminam em “*us”. Neste caso é só catar da lista as oxítonas. É fácil. Se estiverem grafadas corretamente no dicionário (nem sempre é o caso, advirta-se), elas seriam as que aparecem sem acento. Algumas, ou mesmo várias, podem servir pra rimar com Jesus.

E ainda temos todas as palavras oxítonas da língua portuguesa terminadas em “*u”. O referido dicionário que utilizei não oferece a lista por ser longa demais. Cabe então buscar e quiçá listar. Claro que só interessariam as que comportassem plural e fossem adequadas semanticamente. Ainda assim seriam, de fato, muitas.

Compor um bom verso rimando Jesus com, por exemplo, arcabuz, perus, pus (substantivo), urubus ou qualquer coisa do gênero exige um talento que eu simplesmente não tenho e por isso mesmo nunca me dispus a sequer tentar. No entanto, estou convencido de que quem desse os devidos tratos à bola conseguiria, sim.

O que quero dizer com tudo isso é que não existe a menor necessidade de rimar Jesus tão banal, previsível quase invariavelmente com 'cruz' ou 'luz'. Esta rima já está pra lá de desgastada.

Bem, a idade me vem chegando. Não é de se esperar que minha ranzinice melhore. Mas se pelo menos estas canções melhorarem...

14 comentários:

Tere Tavares disse...

Passar aquém da banalidade, de fato, requer muitas referências.
É o caso aqui e em qualquer lugar.
Não basta rimar, há-de se buscar o novo - e mesmo que tudo tenha sido escrito, haverá semrpe mais formas e formatos de escrever ou reescrever - palimpsestos!
Bom dia!
Abraços

João Esteves disse...

Pois é, Terê. Reescrituras sempre possíveis.
Grato pela visita e comentário.
Abraços

Graça disse...

Olá, meu gran-de a-mi-go!!!

Que saudade docê, rapaz...

Estou repostando sempre o nosso Lexicoterapia, e recebendo ainda várias colaborações para ele!!!

Passa lá nos Botões e veja, meu querido.

Quanto ao post:

Jesus-cruz-luz??? Tô fora.

Esse seu tratado é realmente uma prata fina para elucidar a importância de se sair do lugar-comum nessas canções de igreja, principalmente das evangélicas, que é o meu caso. Porém, o caso é que em sua grande maioria, Neo, elas são compostas por pessoas simples, de cultura razoável, mediana...
Mas veja você: sempre ensinei aos meus alunos que seus pais, se não possuem conhecimentos escolares, deveriam ao menos perguntar a eles como se escreve isso, como se escreve aquilo...
Para depois, não ser colocada uma tabuleta na porta da casa, com os seguintes dizeres: vêndisse uma bissicreta
Esse anúncio é real, Neo,de um pai de aluno, em bairro rural.

o que tem a ver com o seu magnífico post?
Tem tudo a ver!!!
Por que é que cantores, compositores, não pedem ajuda para alguém com maiores conhecimentos do nosso léxico, para que assim possam enriquecer ainda mais suas canções e sair de vez desse tão famigerado lugar-comum????

Nossos ouvidos e nossos corações agradeceriam...
e eu, particularmente, agradeço essa riqueza de postagem...

Um grande abraço!!
E apareça.

João Esteves disse...

Perfeito, cara Graça.
Mas eu não diria que o valor artístico de uma composição está necessariamente vinculado à condição letrada de seu autor. Gosto das canções do Tom Jobim com primorosas letras do Vinícius, mas também gosto muito das do Cartola, das do Luiz Gonzaga, que de letrados não tinham nada. Mas eles tinham, isso sim, inspiração e talento. Deixaram obras de mestres, que foram.
No filão gospel é claro que há bons artistas, letrados ou não. E também artistas, digamos, de produção menos agradável para gostos exigentes.
Obrigado pela visita.
Grande abraço.

Lais Castro disse...

Olá João, o neo-orkuteiro! Pois é... tanto tempo sem te fazer uma visitinha... E quando venho... é sempre um alumbramento... ler o que escreves... é sempre muito aprendizado!
Abraço,
Lais.

João Esteves disse...

Obrigado, Laís, pela visita ao blog. Também ando um tanto afastado da blogosfera, por esses tempos.
Abraço

Barbara disse...

Não sei se Jesus (Yeshua) tá preocupado com rimas.
Mas muito interessante a sua colocação.

João Esteves disse...

Também não sei, Bárbara. Mas acho muito improvável que Yeshua esteja muito aí pras rimas das canções que lhe dedicam.
Obrigado pela visita e comentário.

Graça disse...

Alô...
Te deixo um fraterno abraço, com saudade!

João Esteves disse...

Fraterno abraço pra você também, cara amiga Graça

Salete Cardozo Cochinsky disse...

MEU CARO AMIGO
Agradeço tuas bem-vindas palavras e tua amável presença em meu blog.
A fase didícil já passou e meu marido já está se recuperando em casa. Posso dizer que estamos bem e que a mudança de ano teve mais um motivo de festa.
Agradeço também teus textos dedicados a esclarecimentos.
Faz tempo que li o anterior mas não deixei comentário.
É sempre um prazer entrar aqui e perceber tua dedicação e disponibilidade de compartilhar o saber do qual te aproprias.
Um grande abraço, carinho
FELIZ 2011.

João Esteves disse...

Sempre é prazer anfitrionar você, Salete. Gosto em particular de saber que a saude de seu marido está em curso de restabelecimento, que só posso esperar seja breve e completo.
Abraço com carinho extensivo aos seus e FELIZ 2011

Lira disse...

Meu caro João Esteves, quero dizer-te que sou cantor e compositor evangélico e, curiosamente, neste momento estou concluindo uma de minhas algumas músicas inacabadas devido o meu zelo e cuidado em não fazer apenas rimas batidas e desgastadas. E parei pra procurar uma palavra que rimasse com CRUZ e encontrei o seu post. Muito interessante o comentário. É bem verdade que há uma pequenina parcela do segmento evangélico (e é exatamente este público o mais exigente com relação às músicas cantadas em igrejas) que entende e percebe o cuidado de um compositor criterioso. Conheço bem as canções do Sérgio Lopes a que você se referiu. De fato, são verdadeiras poesias. Para mim, uma boa referência musical. Espero ter outras oportunidades de contato. Deus o abençoe!

João Esteves disse...

Olá, Lira. Agradeço muito sua visita e comentário. Estive em um de seus blogs par uma visita de retribuição, mas encontrei-o desatualizado, sem postagens novas desde 2011, se bem me recordo.
Foi muito agradável receber por você a notícia de que esta postagem pode ser útil a compositores de canções gospel, conforme foi seu caso. Me deu uma certa curiosidade de conhecer seu trabalho criativo.
Grande abraço